Caros sócios,

A Sociedade Brasileira de História da Educação manifesta-se, de forma veemente, contrária às ações da Polícia Federal que atingem a imagem das universidades brasileiras, tendo como último episódio a condução coercitiva de oito pessoas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Em tempos recentes, a mesma conduta marcou, negativamente e com consequências trágicas, a Universidade Federal de Santa Catarina. Defendemos a investigação e a justiça aplicada de forma isonômica, incluindo, evidentemente, os membros da comunidade universitária. Porém, não podemos aceitar ações sensacionalistas, que expõem a imagem de professores, pesquisadores e técnicos, em processos orientados por suspeitas e, portanto, em fase inicial de investigação. A imagem das instituições e dos seus profissionais são patrimônios simbólicos de grande relevância, logo não podem ser objetos exposição midiática, visando fins não relacionados ao cumprimento estrito da lei. 

08 de Dezembro de 2017

 

Diretoria da SBHE